Voleibol

20/11/2019

Árbitra dos JOJUPS será primeira delegada do Paraná na Superliga

a

Ilda tem mais de 20 anos de experiência na arbitragem e aos 52, está realizando um sonho (imagem-silmar-ramos)

Quando entrar em quadra no dia 23 de novembro para o confronto entre Caramuru/Ponta Grossa e Vôlei Ribeirão, na Arena Multiuso, em Ponta Grossa, pela 4ª rodada da Superliga Masculina de Vôlei, a árbitra beltronense Ilda Schmitz entrará para a história como a primeira mulher do Estado a ocupar a função de delegada da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), órgão que organiza a competição que é a maior do voleibol nacional.

A função lhe coloca como a maior autoridade da partida, pois cabe a ela, a tomada de decisões para o bom andamento do confronto, bem como a solução de quaisquer problemas que possam eventualmente acontecer.

Desde 2000 no quadro de arbitragem da Federação Paranaense de Voleibol (FPV), por quem foi indicada a função de delegada, Ilda também esteve atuando na fase final da divisão B dos 32º Jogos da Juventude do Paraná (JOJUPS), encerrado na última terça-feira, 19, em Francisco Beltrão. Sua participação mostrou que além da qualidade dos confrontos, a modalidade também tem a preocupação de colocar um quadro experiente para arbitrar e assim evitar qualquer tipo de situação adversa.

Diante de concretizar um sonho, Ilda vê nessa convocação o reconhecimento do seu trabalho que sempre foi pautado na dedicação e principalmente pela seriedade.

“Para mim é uma honra fazer parte da arbitragem, modalidade que sou apaixonada e agora sendo a primeira mulher nessa função, fica até difícil achar palavras para descrever, mas posso garantir que é sem dúvida uma das coisas incríveis que o voleibol me proporcionou. Estou muito feliz e farei o possível para desenvolver bem esse papel”, disse.

Formada em 1991 na Universidade de Marília e hoje aos 52 anos, com 27 de magistério no Estado e desde os 13 jogando voleibol ou ensinando voleibol, Ilda também atuou como atleta profissional na década de 80 passando por equipes como Marília Atlético Clube e Clube dos Bancários, ambos da cidade paulista. Em 1989, ela também conquistou o título da divisão B do Campeonato Estadual. Na arbitragem, foram centenas de eventos.

 a

"É preciso ter paixão pelo ofício", afirma a profissional (imagem-silmar-ramos)

Mas para chegar no auge da modalidade não basta apenas jogar, ensinar ou arbitrar. É preciso fazer os ofícios com paixão, amor e responsabilidade e esse é um dos recados que a profissional quer passar as futuras gerações.

“O fator principal para quem quer alcançar uma posição de destaque e ter o seu reconhecimento, e em primeiro lugar, gostar do ofício do voleibol, se dedicar, agir com responsabilidade e acontecendo isso, pode até demorar um pouco, mas o sonho vai se realizar”, garante a árbitra que em 2016 também teve a honra de carregar a tocha olímpica das Olimpíadas do Rio de Janeiro, em sua passagem por Francisco Beltrão.

A 32ª edição dos Jogos da Juventude do Paraná (JOJUPS), Divisão B, é uma realização do Governo do Estado, por meio da Superintendência do Esporte, com o apoio da cidade Francisco Beltrão.

Acompanhe também a fanpage dos JOJUPS: www.facebook.com/jogosdajuventudeparana 

COM/JOJUPS

Silmar Ramos

release90@hotmail.com
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.